Criar e Vestir Cidadania

logo do criar e vestir cidadania

A oficina de sublimação, ‘Criar e Vestir Cidadania’, selecionado no ‘Criança Esperança’, patrocinado pela organização UNESCO, iniciou com o total de 20 alunos e teve como objetivo qualificar e incluir a pessoa com deficiência através da teoria e a pratica em Sublimação/Silk Screen, estamparia em objetos.

Os resultados desta parceria foram positivos e trouxeram benefícios, não apenas para a ACADEF, como para os participantes, conforme relata o setor de Serviço Social, responsável pela execução do projeto. “Como informado no relatório final enviado à UNESCO, o Criar e Vestir Cidadania, por estar voltado além da formação técnico profissional, mas na potencialidade e protagonismo da Pessoa com Deficiência em todos os âmbitos da vida, buscou o desenvolvimento de habilidades através do trabalho realizado com os alunos, e pôde-se perceber que o relacionamento com o público interno e externo se tornou imprescindível para o sentimento de pertencimento e de inclusão dos jovens participantes da oficina”, ressaltaram.

O Criar e Vestir Cidadania produz produtos personalizados através de oficina de sublimação, (método utilizado para transferência de imagens, frases, logotipos e desenhos).

Temos diversos artigos a oferecer para empresas e instituições: camisetas, squeezes, chaveiros, canecas, entre outros. Faça conosco sua identidade visual e continue nos apoiando na qualificação da pessoa com deficiência.

Venha conhecer nossos produtos:

Contato: 51 3466.9621
e-mail: servicosocial@acadef.com.br

Cartaz da oficina de sublimação, ‘Criar e Vestir Cidadania’,  com os produtos como camisetas, squeezes, chaveiros, canecas, entre outros.

imagem com membros da acadef e também Fernando Fernandes atleta paraolímpico.

A produtora da Globo esteve na associação, para uma reportagem, a qual contou com a participação de Fernando Fernandes, atleta paraolímpico e um dos mobilizadores do Criança Esperança 2018. Interagindo com nossos beneficiários e colaboradores. “Para mim é enriquecedor e fantástico saber que tem pessoas acreditando na capacidade do ser humano. Independente de deficiência física ou não, ninguém está enxergando incapacidades e sim a capacidade. Saio daqui mais feliz, mais leve e motivado para continuar na minha luta também” afirma o atleta Fernando, que se tornou cadeirante em 2009 após um acidente.

gif animada com imagem dos trabalhos da oficina criar e vestir cidadania