ACADEF – HISTÓRIA

A Associação Canoense de Deficientes Físicos – ACADEF é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, de utilidade pública municipal, estadual e federal. Atua no município de Canoas, Vale dos Sinos e Paranhana articulando e realizando ações de reabilitação física, intelectual, auditiva e inclusão social, que desenvolvam as potencialidades da pessoa com deficiência e outras minorias, garantindo seus direitos e liberdade, promovendo o exercício da cidadania e a melhoria da qualidade de vida.

A ACADEF possui o diferencial de ser uma instituição formada, administrada e mantida pelo trabalho da pessoa com deficiência, possuindo uma gestão autossustentável, sem princípios assistencialistas.

Os empreendimentos e programas desenvolvidos são mantidos pelos recursos provenientes de parcerias e prestação de serviços às iniciativas públicas e privadas, além dos contratos com a Prefeitura Municipal de Canoas e Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

O tipo de atividade desenvolvida pela ACADEF é de habilitação, reabilitação e socioprofissional. Através de equipe multidisciplinar e intersetorial, os serviços e atendimentos são delineados para que a pessoa beneficiária alcance sua independência, dentro dos limites impostos pela deficiência ou incapacidade, primeiro aceitando a si mesma e depois, se integrando na sua família e na comunidade.


MISSÃO

Desenvolver, capacitar e ocupar o potencial da pessoa com deficiência (PCD), na perspectiva da inclusão, da cidadania e qualidade de vida.”


BENEFICIÁRIOS

O público da ACADEF é composto por pessoas com deficiência física, auditiva e intelectual de qualquer idade (a partir de zero ano). Os serviços prestados também abrangem demais minorias, como negros, mulheres, pessoas com mais de 45 anos e pessoas em situação de vulnerabilidade social. Atualmente a instituição possui cadastrados 19,55 mil beneficiários.


SERVIÇOS PRESTADOS

TODOS OS SERVIÇOS OFERECIDOS PELA ACADEF SÃO GRATUÍTOS.

MODALIDADES:

Socioassistencial:

– Assistência social;
– Orientações e encaminhamentos para passes-livres municipal, intermunicipal (inclusive da Trensurb);
– Treinamento, capacitação e qualificação profissional;
– Inserção no mercado de trabalho;
– Atividades para o desenvolvimento de habilidades e convivência social.

Reabilitação em Medicina Física de Alta e Média Complexidade, auditiva e intelectual:

– Avaliação e concessão de OPMs (órtese, prótese e equipamentos de mobilidade);
– Fisiatria;
– Fisioterapia adulta;
– Fisioterapia pediátrica (de zero a 12 anos);
– Terapia Ocupacional;
– Fonoaudiologia;
– Nutrição;
– Enfermagem;
– Psicologia;
– Psiquiatria;
– Hidroterapia
– Otorrinolaringologia
– Educador Físico

Para as organizações públicas e privadas, a instituição atua prestando serviços de:

– Terceirização de serviços administrativos e operacionais, através de contratação pela CLT;
– Consultoria de recursos humanos para inserção de pessoas com deficiência e outras minorias nas organizações;
– Treinamento e capacitação de profissionais para trabalhar com pessoas com deficiência.
– Elaboração, implementação e execução de programas e projetos nas áreas de capacitação profissional, cultural, desportivo, ambiental e de saúde.


ESTRUTURA

A ACADEF possui sede própria totalmente adaptada, com aproximadamente 4 mil metros quadrados de área construída. Esta dispõe de áreas administrativas e de atendimento ao público, salas de aula, auditório, laboratórios de informática e de técnicas artesanais, mini ginásio, dependências para eventos e convivência, consultórios e salas de atendimentos terapêuticos e o complexo de hidroterapia.


GESTÃO ORGANIZACIONAL (2020-2021)

Diretoria Executiva
Presidente:
Rosangela de Oliveira

Assessoria da Presidência
Tarcizio Teixeira Cardoso

Conselho fiscal
Presidente:
Valdir Maglione

Conselho de administração
Presidente:
Patrícia Conceição Dutra Marcelino

ÁREA DE SERVIÇOS TÉCNICOS

Gerência Administrativa – Cesar Augusto da Silveira

Assistência Social – Sabrine de Jesus Ferraz Faller

Fisioterapia – Karine Nietzel Di Napoli

ASSESSORIA DE INFORMÁTICA

Webmaster: Osmar Fraga

Suporte Técnico: Renato de Deus

COMUNICAÇÃO SOCIAL

Coordenação operacional: Ricardo Cardoso


NOSSA HISTÓRIA

MEMÓRIAS 25 ANOS ACADEF – clique na imagem para baixar o livro

A HISTÓRIA DA ACADEF

Acredito que a Acadef foi ”gerada” no instante em que Jorge e eu nos conhecemos.

Naquela época (1983) eu participava do movimento da Fraternidade Cristã de Doentes e Deficientes (FCD) e passava por alguns problemas familiares; marquei uma reunião para informar ao grupo que estava saindo, tanto do grupo quanto da coordenação. Nesta reunião, Jorge Cardoso participou pela primeira vez, convidado pelo então vereador Ivo Lech e depois de muita conversa ele assumiu o movimento e eu acabei não saindo..

A participação dele deu um novo impulso ao grupo e ao Movimento tanto a nível municipal quanto estadual. Várias atividades e reuniões importantes aconteceram; o boletim informativo Sol Nascente foi criado e revolucionou os meios de comunicação dentro do Movimento dos deficientes que deu com certeza, um salto de qualidade.

Mas começamos a perceber que o trabalho desenvolvido ia até um ponto e parava sem rumo para seguir. Surgiu então a idéia de fazer uma associação, entidade jurídica de direito e de fato que pudesse lutar mais além, reivindicando acesso, trabalho e direitos

No dia 20 de maio de 1984, com apoio do então Prefeito Municipal Hugo Simões Lagranha um grupo de 26 pessoas se reuniram no salão paroquial da Igreja Matriz São Luiz para aprovar os estatutos de fundação da Associação Canoense de Deficientes Físicos – Acadef.

A primeira Sede foi no quarto do Jorge; tudo o que a Acadef tinha, cabia numa caixa de papelão, menos as idéias e sonhos que fervilhavam. Havia muita coisa por fazer, contatos, negócios, planejamentos.

Era preciso um espaço maior e infra estrutura como telefone, fax e correio, então a Acadef se mudou para o gabinete do Ivo Lech e algum tempo depois passou a ocupar uma sala no Instituto Pestalozzi.

O salto maior aconteceu em 1987 com a cedência da Escola São Francisco pelo Prefeito Carlos Giacomazzi. O prédio e as máquinas existente foram consertados com o apoio da comunidade e da própria prefeitura porque a associação não tinha nenhum recurso ( e quando precisava, a gente mesmo financiava com o que podia ). Naquele local foram realizados os primeiros cursos profissionalizantes e criada a fabrica de cadeiras de rodas e de caixas de correspondências. Começa entrar alguns recursos através de projeto e serviços. Já é a Acadef em busca da autonomia financeira…

Em 1989 a ULBRA cedeu um prédio que estava abandonado na Rua Bandeirantes e novamente a Acadef movimentou a comunidade e a prefeitura para a reforma do local. A REFAP estava trocando seu mobiliário e acabou cedendo todo o antigo para a Acadef. Como não tínhamos nada e as sala não tinham divisória, quando chegaram os móveis da Refap o Jorge “distribuiu os setores”. Cada mesa era um setor na imaginação fértil dele!

O prédio permitiu abrigar várias atividades assistenciais, educacionais, culturais e de formação além da primeira oficina protegida com trabalho terceirizado pela IRIEL na montagem de tomadas telefônicas. Era a Acadef já então gerando renda e cidadania para os deficientes e buscando seu próprio sustento.

Também nesta época foram firmados os primeiros contratos de terceirização de serviços com a REFAP, DATAPREV, CORREIO, INMETRO e Prefeitura de Canoas para o estacionamento ZONA AZUL. Finalmente surgia oportunidade de trabalho real para os deficientes e de sustentabilidade para a Acadef.

Cerca de 25 deficientes passavam o dia na associação, estudando ou trabalhando no setor de produção. O almoço era doado por empresas como a Springer ou Alimentus e quem não podia usar o transporte coletivo era transportado pela kombi da entidade. Nesta época a Acadef já tinha comprado uma kombi de “ 3ª mão “ que cada vez que saia ficávamos torcendo para chegar de volta e quando estragava era consertada gentilmente pela Cautol Veículos.

No ano de 1996 a Acadef foi surpreendida com uma ação de despejo movida pela ULBRA que solicitava a retomada do prédio em 15 dias. Após o desespero da notícia partimos para a busca de outro local onde instalar tudo o que já tínhamos. A solução desta vez, foi alugar um espaço na Major Sezefredo, n° 520 e novamente adaptar o local às necessidades da entidade e dos deficientes físicos.

Ter uma sede própria passou a ser o sonho de cada um dos Acadefianos e a meta número um para os administradores da entidade. As promessas dos órgãos públicos nunca se concretizavam e a Acadef decidiu investir então os recursos já existentes na compra de um terreno, em 1998 as obras iniciaram.

No dia 20 de maio de 1999 a Acadef fez 15 anos e festejou também a inauguração da sede própria. Quando mudamos para cá, fizemos questão de colocar em nosso material impresso “SEDE PRÓPRIA” para não deixar nenhuma dúvida: Este é o nosso lugar, foi construído com recursos do trabalho dos próprios deficientes, sem dever nada a ninguém!

“Por mais sonhadores que fossemos em 1984, jamais poderíamos imaginar a importância que a Acadef teria na vida de centenas de pessoas que por aqui passaram deixando suas marcas ; pessoas que ainda hoje nos ajudam a segurar toda esta estrutura. Tudo o que temos hoje foi conquistado com muita luta, com lágrima e sofrimento “ nada caiu do céu”. Muitas vezes tivemos o ímpeto de largar tudo e ir prá casa chorar nossa desilusão com tantas dificuldades e até ingratidão. Mas o amor e a crença na Acadef sempre foram maiores e no dia seguinte lá estávamos de volta para recomeçar tudo outra vez. Na Acadef é assim. Cada dia é uma desafio. Cada dia é um recomeço!

Especialmente para nós dois ( Jorge e Suzana Cardoso ) a Acadef tem sido nestes anos todos, uma companheira ciumenta, um filho mimado e exigente, motivo de crescimento, orgulho e muitas brigas mas acima de tudo um grande caso de amor!”

  

História contada por Maria Suzana Nunes Cardoso

HOMENAGEM AOS FUNDADORES:

  1. Hugo Renato Lagranha
  2. Marta Teresa Demoliner
  3. Maria Suzana Nunes
  4. Laci Vicente
  5. Teresinha Weschenfelder
  6. Álvaro Pereira Pinto
  7. Rejane Terezinha de Freitas
  8. Teresa Padilha
  9. Alda Medeiros
  10. Lauro Gilberto da Silveira Figueiró
  11. Ivo da Silva Lech
  12. José Emanueli
  13. Arnaldo Melo de Souza
  14. Jorge Fernandes Cardoso
  15. Lia Mara Nunes de Castro
  16. Luiza Müller
  17. Maria Isabel Fantinel Reif
  18. Adilson Bruzza Machado
  19. Moacir Siqueira da Silva
  20. José Rodrigues
  21. Sussi Antunes Cardoso
  22. Ivone Baltira Borges Lagranha
  23. Valdemar Leal do Canto
  24. Célia Clementina Brisch Ludwig
  25. Lourdes Reck
  26. Edie Maria Fernandes Cardoso
  27. Osvaldo Correa Gomes
  28. Maria da Graça Gomes
  29. Simoni Sbaraini
  30. Maria de Fátima Flores
  31. Rosângela de Oliveira
  32. Zeno Antônio Pioner
  33. Luiz Fernando Tavares
  34. Edson P. Lameira